AS GRANDES BACIAS HIDROGRÁFICAS BRASILEIRAS E O CERRADO

Rio Araguaia

O Cerrado é, reconhecidamente, o “berço das águas” do Brasil. Ocupando uma área equivalente a um quarto do território brasileiro, a região possui um clima com uma marcante estação de chuvas, além de solos altamente porosos e adequados para o armazenamento de grandes volumes de águas em seus aquíferos. A combinação de todas estas características resulta nas fecundas nascentes de águas de importantes rios que formam 8 grandes bacias hidrográficas brasileiras: Paraguai, Paraná, Parnaíba, São Francisco, Tocantins/Araguaia, Atlântico Leste, Atlântico Nordeste Ocidental e Amazônica.

Para que você consiga visualizar o que tudo isso significa, segue uma descrição resumida de cada uma destas bacias hidrográficas, com a indicação das áreas totais de drenagem e das regiões onde estão localizadas, que se espalham por todos os cantos do Brasil:

bacia hidrográfica do rio Paraguai tem uma área total de 1,1 milhão de km² e abrange áreas dos estados do Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, incluindo também áreas em territórios da Argentina, do Paraguai e da Bolívia. O Paraguai é o principal rio da bacia hidrográfica.

bacia do rio Paraná abrange uma área de 879 mil km², distribuídos pelos Estados de Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Paraná e Santa Catarina, além do Distrito Federal. O Rio Paraná é o principal rio da bacia hidrográfica, que conta ainda com importantes rios como o Grande, Paranaíba, Tietê, Paranapanema e Iguaçu. As bacias hidrográficas do Paraguai e do Paraná se juntam, formando parte da bacia hidrográfica do Rio da Prata, uma das mais importantes da América do Sul.

bacia hidrográfica Araguaia-Tocantins é formada pela junção das águas dos rios Tocantins e Araguaia, se estendendo pelos Estados de Goiás, Tocantins, Mato Grosso, Pará e Maranhão, além do Distrito Federal. É a maior bacia hidrográfica totalmente brasileira. Esta bacia ocupa uma área de aproximadamente 767 mil km², equivalente a 7,5% do território brasileiro.

bacia hidrográfica do Atlântico Leste ocupa uma área de 388 mil km², se estendendo desde o Nordeste do Estado de Minas Gerais, Norte do Espírito Santo, Leste da Bahia, além do Estado de Sergipe. Os principais rios formadores desta bacia hidrográfica são o Paraguaçu, das Contas, Salinas, Pardo, Jequitinhonha, Mucuri e Itapicuru.

bacia do rio Parnaíba abrange quase totalmente o Estado do Piauí e partes do Maranhão e do Ceará, com uma área total de 344 mil km². O Parnaíba é o principal rio da bacia hidrográfica, com aproximadamente 1.400 km de extensão e com nascentes no Sul do Piauí.

bacia hidrográfica do Atlântico Nordeste Ocidental possui uma área de 254 mil km², que engloba grande partes dos Estados do Maranhão e do Pará. Tem como principais formadores os rios locais: Gurupi, Turiaçu, Pericumã, Mearim, Itapecuru, Kabrelindzom e Murim.

Rios com nascentes no Cerrado também são tributários da maior bacia hidrográfica do mundo – a do Rio Amazonas, que ocupa uma área de quase 7 milhões de km². Os principais tributários com nascentes em áreas da região do Cerrado no Estado de Mato Grosso são o rio Xingu e os rios Teles Pires, Arinos e Juruena, formadores da bacia hidrográfica do rio Tapajós. Também se inclui nesta lista o rio Guaporé, afluente da bacia hidrográfica do Rio Madeira, com nascente no Estado do Mato Grosso, entre outros rios.

E não menos importante, a bacia hidrográfica do Rio São Francisco, que drena uma superfície com uma área total de 639 mil km² e se estende naturalmente pelos Estados de Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Alagoas e Sergipe, e através do Sistema de Transposição já atinge o Estado da Paraíba e, em breve, chegará também aos Estados do Ceará e Rio Grande do Norte.

Apesar de fornecer água para a maioria das bacias hidrográficas do Brasil, existe uma grande diferença no volume destas contribuições: enquanto as águas de rios com nascentes na região do Cerrado contribuem com apenas 4% das águas da gigantesca bacia Amazônica, na bacia hidrográfica do Rio São Francisco essa contribuição corresponde a 94%. Isto significa que a eventual destruição das fontes de água da região do Cerrado seria quase irrelevante para a região da bacia Amazônia e catastrófica para a região do Semiárido.

A conservação do bioma Cerrado, como se observa, não é importante apenas para os Estados onde o ecossistema está contido – ela tem importância vital para todo o Brasil e também para países vizinhos como o Paraguai, Argentina e Uruguai, além de trecho da Bolívia. As bacias hidrográficas dos importantes rios Paraná e Paraguai, entre outras, se juntam para formar a bacia hidrográfica do Rio da Prata, a segunda mais importante da América do Sul. Essa bacia hidrográfica é tão importante que Argentina, Paraguai e Uruguai são conhecidos internacionalmente como Países Platinos.

Infelizmente, o avanço das fronteiras agrícolas em áreas do Cerrado já apresenta como resultados uma visível redução nos caudais destas bacias hidrográficas – e no Rio São Francisco essa redução é muito mais do que visível: é alarmante!

11 Comments

  1. […] Todo esse sucesso, que faz a alegria dos grandes produtores e proporciona enormes saldos comerciais na balança de exportação do país, teve um alto custo ambiental, que pouco a pouco começa a enviar a “fatura” a todos nós: calcula-se que metade da vegetação nativa do Cerrado sucumbiu ao avanço da agroindústria – a forte estiagem que passamos a observar nos rios da região no período da seca, inclusive com alguns rios secando completamente, é uma das consequências mais visíveis de todo este desmatamento. Conforme comentei em minha última postagem, as árvores e arbustos raquíticos do Cerrado não nos impressionam à primeira vista, especialmente quando comparados à vegetação de grande porte da Amazônia e da Mata Atlântica; é inclusive corriqueiro se confundir a vegetação do Cerrado com a Caatinga. Apesar da aparente fragilidade, as árvores e arbustos do Cerrado possuem um enorme e profundo sistema de raízes, adaptadas para captar a água em grandes profundidades no subsolo – é esse sistema radicular o responsável pela infiltração no solo de grandes volumes de água no período das chuvas, contribuindo assim para a recarga dos depósitos subterrâneos. Quando a temporada das chuvas se encerra, serão estes lençóis e aquíferos que fornecerão a água para as nascentes dos riachos e rios que brotam por todos os cantos do Bioma, acertadamente chamado de Berço das Águas do Brasil. […]

    Curtir

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s