O DESAPARECIMENTO DA ILHA NEW MOORE NO OCEANO ÍNDICO

Bangladesh

Nas minhas últimas postagens venho falando sobre os impactos das alterações climáticas em toda a região do Oceano Índico, fenômeno que tem suas primeiras consequências já visíveis: uma fortíssima seca na faixa Leste e Sul da África, que atinge 50 milhões de pessoas; aquecimento das águas do Canal de Moçambique, onde está havendo um aumento do número de ciclones e de tempestades tropicais; aumento no volume das chuvas de monção na Índia e em todo o Sudeste Asiático; diversas ilhas e países insulares sob ameaça de desaparecimento devido à elevação do nível do Oceano Índico.

A recente divulgação de notícias sobre a crise no abastecimento de água na Cidade do Cabo, na África do Sul, deu uma visibilidade maior ao problema. As ameaças do aumento do nível do mar nas Ilhas Maldivas, um famoso e importante destino turístico ao Sudoeste da Índia, também causou muita comoção em todo o mundo. Porém, estão ocorrendo diversos problemas “menores” em regiões sem nenhuma visibilidade e que nos dão uma noção da extensão regional dos impactos climáticos no Oceano Índico. E o desaparecimento repentino de uma pequena ilha no Golfo de Bengala nos dá uma ideia dos problemas que a região enfrentará nos próximos anos.

A pequena ilha de 10 km² era disputada entre a Índia e Bangladesh há muitos anos, sendo chamada de New Moore pelo Governo indiano – os habitantes locais, os bengaleses, chamavam a ilha de Talpati. A ilha, que nunca foi habitada e era visitada apenas por pescadores, foi formada a partir do acumulo de sedimentos carreados pelo rio Hariabhanga e tinha uma elevação máxima de 2 metros acima do nível do mar.

De acordo com dados da Escola de Estudos Oceanográficos da Universidade de Jadavpur em Calcutá, toda a região do delta dos rios Ganges e Brahmaputra vem apresentando um aumento sistemático do nível do mar há várias décadas – nos últimos 10 anos, houve um aceleração visível na velocidade deste aumento do nível das águas, o que resultou no desaparecimento da ilha New Moore.

As preocupações com a elevação do nível do Oceano Índico na região do Golfo de Bengala são muito maiores – o avanço das águas do mar está ameaçando a sobrevivência da maior floresta de manguezais do mundo, localizada entre a Índia e Bangladesh. O delta do rio Ganges-Brahmaputra, conhecido na língua local com Sundarbans, se estende por aproximadamente 350 km de linha de costa, o que o torna o maior delta do mundo. Suas terras interiores, baixas e extremamente férteis, estão entre as de maior produtividade agrícola do mundo (vide foto) e alimentam centenas de milhões de pessoas – com o aumento do nível do mar grande parte dessa região poderá ficar submersa.

Em qualquer lugar do mundo, uma perspectiva de futuro como essa seria dramática – no subcontinente indiano, uma das áreas com maior densidade populacional do mundo, a situação é, simplesmente desesperadora: Bangladesh tem uma população de 160 milhões de habitantes e a Índia, impressionantes 1,34 bilhão de habitantes.

Além da destruição dos manguezais e do alagamento das terras agrícola, a elevação das águas do Oceano Índico na região poderá criar, somente em Bangladesh, até 20 milhões de “refugiados ambientais” nos próximos anos.

2 Comments

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s