AS FORTES NEVASCAS NOS ESTADOS UNIDOS E SEUS IMPACTOS NO FERIADO DO DIA DE AÇÃO DE GRAÇAS

Nevasca nos EUA

Conforme estamos mostrando em nossas últimas postagens, uma série de eventos climáticos incomuns têm causado grandes problemas em diferentes partes do mundo. Na Austrália, a forte seca e os ventos estão provocando os mais intensos incêndios florestais registrados nas últimas décadas. Na maravilhosa Veneza, no Nordeste da Itália, são as enchentes, as maiores desde 1966, que estão ameaçando o inestimável patrimônio artístico, arquitetônico e cultural. Por fim, falamos das violentas chuvas e suas trágicas consequências no Leste da África – enormes desmoronamentos de encostas e enchentes já mataram centenas de pessoas e centenas de milhares estão desabrigadas. 

Apesar das enormes distâncias geográficas que separam essas diferentes localidades no mapa mundial, existe um ponto em comum por trás de todos esses eventos climáticos extremos – as mudanças climáticas globais. A grande liberação de gases de efeito estufa, emitidos principalmente pela queima de combustíveis fósseis como o carvão e os derivados de petróleo, é uma das principais vilãs dessa tragédia global.  

Os desmatamentos e as queimadas em áreas florestais, a pecuária, a agricultura, a produção industrial e a geração de energia elétrica, entre outras atividades humanas, completam a extensa lista dos emissores dos gases de efeito estufa. A grande concentração desses gases na atmosfera tem provocado um lento e gradual aumento da temperatura no planeta Terra, o que, por sua vez, vem provocando toda uma série de eventos climáticos extremos

A mais recente peça pregada pelo clima nesses últimos dias foram as fortes nevascas fora de época em diferentes regiões dos Estados Unidos. O NWS – Serviço Nacional do Clima na sigla em inglês, classificou esses eventos climáticos como “históricos e sem precedentes“. Além de fortes ventos e inundações em áreas litorâneas, o Serviço fez previsões de precipitações de até 120 cm de neve em regiões de montanha, o que é muita coisa considerando-se que ainda é outono no Hemisfério Norte. 

A situação fica ainda mais dramática quando verificamos a semana em que essas nevascas temporãs ocorrem – dia 28 de novembro é o Dia de Ação de Graças, o Thanksgiving, o mais importante feriado norte-americano. A data rememora a época da chegada dos primeiros 102 peregrinos protestantes ao Novo Mundo, a bordo do lendário navio Mayflower no final de 1620. Sem alimentos para sobreviver ao rigoroso inverno daquele ano, esses peregrinos foram salvos pelos indígenas, que de bom grado ofereceram alimentos para os recém-chegados.  Em 28 de novembro de 1621, exatamente um ano após o desembarque dos pilgrims em terras americanas, foi celebrado The First Thanksgiven, ou, o Primeiro dia de Ação de Graças. 

Entre os norte-americanos, o Dia de Ação de Graças é considerado um dos feriados mais importantes do calendário nacional e uma forte razão para uma boa reunião familiar. As estimativas falam que perto de 55 milhões de norte-americanos viajarão por todo o país para se reunir com suas famílias. Nevascas fora de época nessa data representam uma enorme fonte de problemas para todos esses viajantes. Muitas rodovias estão cobertas por neve e quem já teve a experiência de dirigir nessas condições sabe das dificuldades de manter uma trajetória segura de um veículo nessas situações.  

Outra forma usual de viagens nos Estados Unidos é por via aérea. Diversos aeroportos do país foram obrigados a cancelar centenas de voos devido as condições climáticas. Um exemplo é o aeroporto da cidade de Denver, no Estado do Colorado, que no dia 27 cancelou cerca de 500 voos e outros tantos sofreram atrasos. Segundo informações divulgadas pelo aeroporto, cerca de mil pessoas foram obrigadas a passar a noite acomodadas de forma improvisada nos bancos dos terminais

As nevascas também interromperam os serviços de distribuição de energia elétrica em cinco Estados do Meio-Oeste, onde se incluem o Michigan, Ohio e Wisconsin. De acordo com os levantamentos mais recentes, cerca de 300 mil imóveis ficaram sem energia elétrica. Numa extensa faixa no centro do país, que vai do Oeste do Texas até os Estados do Missouri Ohio, os Serviços de Meteorologia previam ventos de até 95 km/h e fortes tormentas no Dia de Ação de Graças, condições que tornam as viagens rodoviárias extremamente perigosas e desaconselháveis. 

Fugindo um pouco dos problemas ligados ao feriado nacional, essas nevascas trouxeram uma série de impactos negativos aos agricultores de diversas regiões do país. Os Estados Unidos, para que não sabe, ocupam a posição de maior produtor agrícola do mundo, principalmente de grãos, e o outono é a época de colheita de diversas culturas, especialmente o milho e a soja. Há notícias de diversas fazendas onde as plantações, já em vias da colheita, foram cobertas pela neve – será preciso esperar essa neve derreter e as plantas secarem para se avaliar as possíveis perdas. 

Os agricultores norte-americanos disputam com os brasileiros, saca a saca, o título de maior produtor mundial de soja. Mesmo assim, a demanda pelo grão no mercado chinês está em fortíssima alta e já está faltando soja no mercado – eventuais perdas nas culturas dos campos norte-americanos poderão elevar ainda mais o preço dessa commodity, com reflexos nos preços de diversos produtos que consumimos em nosso dia a dia. A soja é um importante ingrediente para a produção de rações para animais e qualquer aumento de preços terá reflexos nos custos de ovos, carnes e seus derivados. 

Em meados do mês de outubro, uma outra nevasca fora de época já havia atingido os Estados de Minnesota, Dakota do Norte, Montana, Iowa e Wisconsin, importantes produtores de soja do país. Alguns fazendeiros fizeram relatos de uma camada de neve com 35 cm cobrindo suas plantações. Diversos produtores nesses Estados já estavam realizando a colheita do grão e foram obrigar a paralisar os trabalhos por causa do tempo. A chegada de outras nevascas temporãs num espaço tão curto de tempo poderá comprometer de vez as colheitas de muitas dessas propriedades. 

Como fica fácil de perceber, os extremos climáticos estão se tornando cada vez mais comuns em todo o mundo e eles têm trazido muitos prejuízos financeiros e problemas de todos os tipos. Desgraçadamente, muitas tragédias humanas também já estão se desenrolando, com muitas mortes relatadas e milhares de pessoas desabrigadas. 

Essas nevascas fora de época nos Estados Unidos revelam, além de tudo, uma grande ironia do destino – o Governo do país está entre os que mais resistem em reduzir as emissões de gases de efeito estufa. Inclusive, o país acaba de se retirar do Acordo de Paris, uma iniciativa internacional dos países para a redução das emissões de gases causadores do aquecimento global.  

Para encerrar – os americanos, ao lado dos chineses, são os maiores emissores desses gases no mundo; a única diferença é que a China continua no Acordo de Paris. 

 

One Comment

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s