TODOS OS TONS VERMELHOS DO RIO COLORADO

Rio Colorado 1

Se você, por acaso, leu todos os posts que publiquei ao longo deste mês, deve ter ficado com a falsa impressão que os efeitos já visíveis do aquecimento global só estão afetando corpos d’água em lugarejos distantes, desérticos e esquecidos deste nosso mundo: Bolívia, Chade, Botsuana, Israel, Jordânia e países da Ásia Central como o Cazaquistão, Tadjiquistão, Quirguistão, Uzbequistão entre outros, chamados maldosamente por muitos de “Fim-do-mundistão” (lembrando que o sufixo istão, derivado do persa stan, quer dizer “terra” e designa dezenas de países). Na realidade, as mudanças climáticas também afetam os países mais ricos do mundo e o Rio Colorado, no Sudoeste dos Estados Unidos, é um dos maiores exemplos do alcance global dos problemas ambientais.

O Rio Colorado é um dos mais longos rios da América do Norte, com nascentes nas Montanhas Rochosas no Estado americano do Colorado e, ao longo dos seus 2.320 quilômetros, banha os Estados de Utah, Arizona, Nevada e Califórnia, entrando a seguir no México, onde encontra a sua foz no Golfo da Califórnia.

Colorado, em espanhol, significa “avermelhado”, provavelmente em referência à cor das paredes rochosas que envolvem boa parte do rio (vide foto). Em 1540, os exploradores espanhóis liderados por Garcia López Cárdenas descobriram o Gran Cañon (Grand Canyon) e o rio, sem que nenhum nome lhe fosse dado. No mesmo ano, Hernando de Alarcón, avistou a foz do rio enquanto explorava o Golfo da Califórnia (também chamado de Mar de Cortez), dando-lhe o nome de “El Rio de Buena Guia”.

O rio Colorado é responsável pelo abastecimento de 40 milhões de pessoas em sete Estados americanos e quase 90% do total das suas águas é desviado para fins de irrigação em 2 milhões de hectares, o que torna sua bacia hidrográfica uma das mais aproveitadas do mundo. Várias cidades importantes dos Estados Unidos como Los Angeles, Las Vegas, San Bernardino, San Diego, Phoenix e Tucson utilizam sistemas de abastecimento que captam águas do Rio Colorado. Considerando a extensão total do rio, os climas semiárido e desértico das regiões que atravessa, além de uma bacia hidrográfica compartilhada por diferentes Estados, permitem que o Rio Colorado seja comparado de forma bastante realista com o nosso Rio São Francisco e sua importância regional. A superexploração das águas do Colorado e seus efeitos negativos são um alerta importante para o São Francisco – falaremos disto em posts futuros.

Com o aumento da população e o crescimento das necessidades energéticas do Sudoeste americano a partir das primeiras décadas do século XX, o Governo dos Estados Unidos criou em 1922 um comitê especial com a missão de gerenciar o uso das águas do Rio Colorado – em 1944, o Governo do México foi convidado a participar deste comitê. O aproveitamento em grande escala das águas do Rio Colorado foi iniciado na década de 1930, quando foi construída a famosa represa Hoover e sua usina hidrelétrica nas proximidades da cidade de Las Vegas, formando-se o Lago Mead. A represa permitiu a regularização da vazão das águas, que oscilavam entre grandes secas e períodos de enchentes violentas, além de permitir a navegação por um extenso trecho do rio e numerosos canais de irrigação que seriam construídos – aqui é importante relembrar que durante a época da Grande Depressão Econômica da década de 1930, o Governo americano criou inúmeros projetos para gerar ocupação para os desempregados, que representavam um quarto da população economicamente ativa. Desde então, foram construídos inúmeros sistemas e canais de irrigação em toda a bacia hidrográfica do Rio Colorado – a exploração dos recursos hídricos se tornou tão intensa que o volume de água que chegava até a foz do rio no Golfo da Califórnia chegou muito próximo de zero.

Nos últimos anos, porém, a natureza começou a cobrar o seu preço e mandou a fatura na forma de fortíssima seca em toda a bacia hidrográfica do Rio Colorado, que se estende do Estado americano do Wyoming até o México. De acordo com dados meteorológicos oficiais, a região está no centro do mais forte conjunto de mudanças climáticas já observadas nos Estados Unidos. Projeções do Instituto de Oceanografia da Universidade de San Diego, na Califórnia, estimam que o Rio Colorado poderá perder entre 60% e 90% das suas águas até a metade deste século por causa do aquecimento global.

Vamos detalhar estes problemas no próximo post.

Anúncios

7 Comments

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s