CHUVAS FORTES ATINGEM O SUL DA CALIFÓRNIA

Em uma raríssima ocorrência meteorológica, a tempestade tropical Kay trouxe muito vento e fortes chuvas para o Sul do Estado norte-americano da Califórnia, região que vem convivendo com uma forte seca há mais de duas décadas. As chuvas também atingiram a região Oeste do Arizona, Estado vizinho. 

A tempestade tropical Kay se formou sobre o Mar do Caribe no início do mês de setembro, evoluindo depois para um furacão da classe 2. De acordo com informações do Servico Nacional de Meteorologia do México, Kay provocou chuvas torrenciais nas regiões de Nayarit, Jalisco, Colima, Michoacán, Puebla e Oaxaca. Após enfraquecer para um furacão classe 1, Kay se deslocou para a região da Baja Califórnia, na costa Oeste do México, onde passou a ser classificada como uma tempestade tropical. 

Mesmo enfraquecida, a tempestade Kay ainda provocou fortes ventos e influenciou a formação de fortes chuvas numa faixa mais ao norte. As únicas vezes em que uma tempestade tropical provocou efeitos semelhantes na região foram em 1939, quando uma tempestade atingiu Long Beach, e em 1976, quando a tempestade tropical Kathleen, trouxe chuvas recordes de 400 mm para a Califórnia. 

O serviço local de meteorologia chegou a registrar ventos com rajadas de até 170 km/h em terrenos mais altos do sul da Califórnia, como foi o caso de Cuyamaca Peak a leste da cidade de San Diego. Esses ventos derrubaram muitas árvores, postes e linhas de transmissão de energia elétrica. 

As autoridades estaduais temiam a formação de fortes enxurradas de água e lama, o que felizmente foi bastante limitado. Depois de anos sucessivos de seca e ainda com a ocorrência de inúmeros incêndios florestais, os solos de grande parte da região estão muito ressecados, característica que dificuldade a absorção de água e favorece a formação de caudais superficiais. 

Apesar de todos os transtornos que sempre provocam, as fortes chuvas dos últimos dias ajudaram a conter vários incêndios florestais que estão ocorrendo no Sul da Califórnia. Um desses casos foi o do Fairview, um incêndio que já consumiu cerca de 14 mil hectares de matas. De acordo com os bombeiros, as chuvas e a grande umidade ajudaram a conter 43% do incêndio. 

Em um comunicado à imprensa, o Cal Fire – Departamento de Florestas e Proteção contra Incêndios da Califórnia, afirmou que “a atividade do fogo foi bastante reduzida devido à umidade da tempestade tropical Kay”. Aqui vale lembrar que o Estado da Califórnia vem enfrentando sucessivas ondas de incêndios florestais nos últimos anos. 

De acordo com balanço feito pelas autoridades do Estado no início do verão, 93% do território da Califórnia enfrenta uma condição de seca severa, situação que favorece muito a formação de grandes incêndios florestais. Em 2021, os incêndios destruíram mais de 1 milhão de hectares de florestas na Califórnia, uma área equivalente à do Estado de Connecticut. 

A mesma situação se repete em todo o Meio-Oeste dos Estados Unidos, especialmente no Arkansas, Colorado e Novo México, Estado onde a situação é particularmente grave – metade dos 33 condados já sofrearam com incêndios florestais desde o início do verão. 

Além dos riscos às florestas, essa seca está afetando fortemente o abastecimento de cidades e a produção agrícola em muitas regiões do país. Importantes rios como o Colorado estão apresentando baixos e preocupantes níveis. 

Conforme já tratamos em postagens anteriores, as águas o rio Colorado são vitais para Estados como Utah, Arizona, Nevada e Califórnia. Cerca de 40 milhões de pessoas em sete Estados norte-americanos são abastecidas com águas captadas no rio Colorado e transportadas através de canais e sistemas de transposição. Essas águas também são usadas para a irrigação de 2 milhões de hectares de plantações. 

Importantes cidades da Região Sudoeste dos Estados Unidos são abastecidas com as águas do rio Colorado. Exemplos são Los Angeles, Las Vegas, San Bernardino, San Diego, Phoenix e Tucson. É importante citar que, à exceção de Las Vegas, todas essas cidades ficam bem longe do leiro do rio Colorado. 

Um exemplo da importância das águas do rio Colorado para a agricultura é o Imperial Valley, uma extensa área de produção no Sul da Califórnia. Essa região é considerada a maior produtora de culturas de inverno dos Estados Unidos e também a maior consumidora de água da Califórnia. 

Mudanças climáticas regionais estão ameaçando o rio Colorado. Essas mudanças incluem desde a redução do volume de chuvas na região da bacia hidrográfica até a redução da precipitação de neve das Montanhas Rochosas, formação que abriga importantes nascentes de rios tributários do Colorado. Essas mesmas mudanças climáticas estão afetando fortemente a Califórnia. 

Existe um receio entre meteorologistas e cientistas que essas mudanças climáticas venham a tornar frequentes a ocorrência de tempestades tropicais na Califórnia ou até mesmo levar a formação de furacões como o que acontece atualmente na região do Mar do Caribe. 

As mudanças climáticas vão nos trazer muitas mudanças e surpresas nos próximos anos. Quem viver, verá…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s