GERAÇÃO EÓLICA “INSTANTÂNEA” BATE RECORDE NA REGIÃO NORDESTE

Uma notícia curiosa: o ONS – Operador Nacional do Sistema Elétrico, informou que a Região Nordeste bateu um novo recorde na geração de energia elétrica eólica instantânea (pico de geração) no último dia 8 de julho. Os aerogeradores da Região atingiram um pico de geração de 14.167 MW, um volume de energia equivalente a 123,2% da demanda local. 

Trocando em miúdos – pelo período de um minuto a produção de energia eólica foi suficiente para atender toda a demanda da Região Nordeste, com uma sobra de 23,2%, excedente que foi exportado para outras regiões do Brasil. 

A geração fotovoltaica também surpreendeu – no último dia 12, às 10h28, foi atingido um novo recorde. Foram produzidos 2.963 MW solares, um volume de energia equivalente a 27,5% da demanda de energia elétrica de toda a Região Nordeste por um minuto. 

Fontes de geração eólicas e fotovoltaicas são intermitentes, ou seja, não produzem em sua capacidade máxima durante todo o tempo, mas são importantes auxiliares dos sistemas de geração mais tradicionais como os hidrelétricos e termelétricos. É sempre importante lembrar que os sistemas de geração eólica e fotovoltaica estão entre as mais sustentáveis que existem. 

Contando com ventos fortes e contínuos, a Região Nordeste foi transformada na maior geradora de energia elétrica por fonte eólica do Brasil. De acordo com dados da Associação Brasileira de Energia Eólica, a Região concentra 708 parques eólicos de um total de 805 instalados em todo o país. A geração eólica representa, segundo dados de dezembro de 2021 do Ministério de Minas e Energia, quase 11% de toda a matriz energética do Brasil.  

O potencial eólico da Região é tão grande que já existe um grande projeto para a instalação de centenas de torres offshore (dentro do mar ao longo da costa) por todo o litoral nordestino. Segundo informações preliminares, esse potencial seria equivalente a 50 usinas hidrelétricas do tamanho de Itaipu

De acordo com dados da ABSOLAR – Associação Brasileira de Energia Solar, a geração de energia elétrica a partir de painéis fotovoltaicos no Brasil atingiu a marca de 7,5 GW em 2020, o que equivale à metade da capacidade instalada da Usina Hidrelétrica de Itaipu. De acordo com essa Associação, o preço das placas solares e dos demais equipamentos caiu cerca de 90% nos últimos 10 anos, o que vem incentivando cada vez mais o crescimento do setor.  

De acordo com estimativas do setor, as empresas de geração solar empregam mais de 130 mil profissionais no Brasil e faturam cerca de R$ 21 bilhões ao ano. No mundo, as empresas desse setor empregam mais de 3,5 milhões de profissionais, o que corresponde a um terço dos empregos gerados pelas energias renováveis.  

Existem atualmente no Brasil cerca de 350 mil pequenos sistemas de geração fotovoltaica instalados em telhados de residências, pequenas empresas e terrenos, além de 3.900 sistemas de geração centralizada, que geram a eletricidade em um local e enviam a energia para consumo em outros locais através de linhas de transmissão. 

A ensolarada Região Nordeste se destaca nessa modalidade. Vejam alguns dos mais importantes parques fotovoltaicos da Região:  

Parque Solar São Gonçalo – Piauí: Localizado no município de São Gonçalo do Gurguéia. Inaugurado em 2020, é o maior empreendimento do tipo no Brasil, com uma capacidade de geração de energia de 1,5 GW;  

Parque Solar de Nova Olinda – Piauí: Localizado em Ribeira do Piauí. Esse Parque possui 930 mil painéis solares instalados e ocupa uma área total de 690 hectares. Possui uma capacidade de geração de energia de 292 MW, o que é suficiente para abastecer 300 mil residências;  

Parque Solar Ituverava – Bahia: Em operação desde 2017, fica localizado em Tabocas do Brejo Velho. Possui 850 mil painéis solares em uma área de 579 hectares. A capacidade de geração é de 158 MW, o suficiente para abastecer 166 mil residências;  

Parque Solar de Bom Jesus da Lapa – Bahia: Em operação desde 2017, tem uma capacidade de geração de energia de 158 MW, o suficiente para abastecer 166 mil residências;  

Parque Solar Horizonte – Bahia: Também localizado no município de Tabocas do Brejo Velho. Possui uma capacidade instalada de 103 MW e capacidade para abastecer 108 mil residências. O parque está sendo expandido, com expectativa de atingir a marca de 220 MW.  

Um outro destaque importante é o projeto piloto do Parque Solar flutuante do Lago da Usina Hidrelétrica de Sobradinho, na Bahia, que foi inaugurado em agosto de 2019. Contando inicialmente com 3.792 painéis fotovoltaicos e com uma capacidade instalada de 1 MW, essa iniciativa abre uma nova perspectiva para o aumento da produção de energia elétrica nas usinas hidrelétricas já existentes no país, sem que haja a necessidade de se aumentar as áreas de águas represadas.   

Em tempos de crise energética em todo o mundo e de uma enorme preocupação com o avanço das fontes de geração renováveis, é muito bom constatar os avanços dessas modalidades de geração aqui no Brasil. 

2 Comments

  1. Por outro lado existe a preocupação com a derrubada da caatinga e mortandade dos morcegos que regulam os ecossistemas da região. Sem dúvida o ganho energético é superior e essencial, a geração de emprego e a formação de profissionais na própria região.
    Falta ainda, cuidar do lixo, não há política pública para esse problema.
    Feito isso, o Brasil passará na frente dos almofadinhas.

    Curtir

    Responder

Deixe uma resposta para Iolanda Oliveira de Sousa Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s