O RENASCIMENTO DO CHEONGGYECHEON

cheonggyecheon

Nos meus últimos dois posts mostrei dois exemplos de córregos paulistanos canalizados que passaram por um processo de redescoberta pela população: o Córrego Pirarungáua, no Jardim Botânico de São Paulo, e o Córrego das Corujas, na Vila Madalena. Para não parecer bairrista, vamos falar hoje de um dos maiores feitos até o momento em termos de recuperação de um curso d’água canalizado e esquecido: o Rio Cheonggyecheon em Seul, na Coreia do Sul.

O Rio Cheonggyecheon é um canal artificial que foi construído durante a Dinastia Joseon (1392-1410) com a função de drenar as águas pluviais e controlar as enchentes da antiga cidade de Seul. A tradução literal do nome do coreano para o português significa “rio das águas límpidas. Conta-se que na fundação da cidade, os antigos governantes se valeram de princípios do feng chui e construíram as ruas e edifícios alinhados entre montanhas e cursos d’água. Na tradição oriental, o feng chui reúne os conhecimentos das forças necessárias para conservar as influências positivas que supostamente estariam presentes em um espaço e redirecionar as negativas de modo a beneficiar seus moradores.

Durante centenas de anos, o Rio manteve suas características originais como um oásis no centro da cidade de Seul. Na década de 1950, durante a guerra que dividiu a Coreia, milhares de refugiados do Norte migraram para Seul – as margens do Rio Cheonggyecheon foram transformadas em imensas favelas (algo muito parecido com o que acontece nas grandes cidades brasileiras). Em pouco tempo, as antigas águas límpidas se transformaram num canal de esgotos a céu aberto.

O rápido crescimento econômico da Coreia na década de 1960, com o natural crescimento da frota de veículos, levou a Prefeitura de Seul a criar o seu plano de novas avenidas e, entre outras mudanças, resolveu pela canalização do Rio Cheonggyecheon, processo que exigiu o remanejamento de milhares de famílias das suas margens. E mais: sobre o leito canalizado foi construído um extenso viaduto, muito parecido com o Elevado Presidente João Goulart (o popular Minhocão) de São Paulo.

O crescimento desordenado, o excesso de carros e a poluição do ar degradaram imensamente a região central de Seul. Em julho de 2003, urbanistas desenvolveram um projeto revitalizar a área e ajudar Seul a se tornar uma cidade moderna e ecologicamente correta como parte de um vasto projeto de revitalização urbana. O plano previa a remoção da via elevada e a reabertura e revitalização do Cheonggyecheon. Num trabalho de 2 anos e custo de US$ 280 milhões, o viaduto foi demolido e o rio foi recuperado e transformado em um impressionante parque urbano linear de 5.8km de extensão, 400 hectares e 80 metros de largura – 30 mil pessoas visitam o parque a cada fim de semana. Para que vocês tenham noção do tamanho da obra, somente a demolição do viaduto gerou 600 mil toneladas de entulho – 75% deve entulho foi reciclado e utilizado na construção do parque. Veja a história do Rio neste vídeo com narração de Brad Pitt.

Eliminar uma via elevada desse tamanho na área central da cidade traria grandes problemas para o trânsito de Seul – a Prefeitura fez grandes investimentos em faixas exclusivas para ônibus e fez campanhas para estimular o uso de transportes coletivos; contrariando as expectativas de muitos, a população passou a usar ônibus e metrô – muitos coreanos redescobriram o prazer de caminhar pelo centro da cidade. Os comerciantes reclamam de queda nas vendas pela falta dos carros mas a maioria esmagadora da população gostou da mudança e do renascimento do Rio.

Talvez você possa ter achado que o custo de US$ 280 milhões para demolir um gigantesco viaduto, recuperar um rio e criar um Parque Linear de quase 6 km no coração de uma das maiores cidades do mundo é muito alto – lembro que a simples retificação do Córrego das Águas Espraiadas e a construção de uma avenida de fundo de vale de 5 km em São Paulo custou o dobro disso.

Pensar grande, com honestidade e seriedade – é isso que falta aqui em nossas paragens.

One Comment

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s