OS ECOS DE UMA GUERRA SILENCIOSA QUE AINDA SE DESENROLA NO VIETNÃ

Agente Laranja

Na última postagem apresentamos um quadro geral dos gravíssimos problemas ambientais das Filipinas, um país muito pouco comentado nos noticiários internacionais. Como exceção existem as notícias sobre os grandes desastres naturais que ocorrem no arquipélago com alguma frequência e também as excentricidades do Presidente do país, Rodrigo Duterte. 

O Vietnã é um país vizinho das Filipinas no Sudeste da Ásia e muito mais famoso no cenário internacional. Essa fama do Vietnã foi conquistada devido ao longo e sangrento conflito armado que se desenrolou no país entre 1955 e 1975, onde foram envolvidos também os vizinhos Laos e Camboja. Eu acompanhei muitas reportagens falando sobre a Guerra do Vietnã na minha infância, mas só fui começar a entender a loucura daquele conflito quando assisti ao filme Apocalipse Now, de 1979. 

Uma das maiores insanidades militares cometidas naquela guerra pelos norte-americanos foi o uso maciço do Agente Laranja, um potente herbicida usado como desfolhante de árvores. Os militares norte-americanos justificavam a necessidade do uso desse herbicida como uma tática militar – áreas cobertas por densas florestas serviriam de esconderijo para as tropas inimigas, que atacavam os comandos dos Estados Unidos em cruéis emboscadas. Desfolhando as árvores, os inimigos poderiam ser identificados e atacados facilmente por aviões e helicópteros. 

Oficialmente, os militares norte-americanos afirmam ter usado 70 milhões de litros do Agente Laranja ao longo de 10 anos, entre 1961 e 1971. O produto era pulverizado sobre as matas por aviões e helicópteros (vide foto). Estudos recentes feitos nos relatórios militares das operações naquele conflito estão mostrando que o volume usado foi muito maior, superando os 100 mil litros. Passados mais de 45 anos desde o fim do conflito, que foi uma das derrotas militares mais humilhantes dos Estados Unidos, as consequências do uso do Agente Laranja ainda são sentidas pela população. 

Especialistas em saúde ambiental da Universidade de Columbia, nos Estados Unidos, passaram cinco anos estudando toda a documentação disponível sobre o assunto. Além de perceberem que os volumes do Agente Laranja usados no conflito foram subestimados, os cientistas também perceberam que os níveis de dioxinas presentes no herbicida eram muito maiores do que se imaginava. 

As dioxinas são substâncias químicas altamente tóxicas, reconhecidas por provocar inúmeros tipos de câncer. Esses novos estudos mostraram que o volume de dioxinas presentes no Agente Laranja eram o dobro do que se imaginava anteriormente. Uma vez liberadas no meio ambiente, essas substâncias contaminam continuamente as águas e os seres vivos de uma região. Estudos anteriores realizados com moradores de regiões atingidas pelo Agente Laranja no Vietnã encontraram níveis de dioxinas até 200 vezes maiores que os limites máximos recomendados. 

Calcula-se que 4,8 milhões de vietnamitas foram expostos diretamente a esses produtos químicos durante as pulverizações feitas durante a Guerra e outros milhões continuam sendo expostos aos resíduos presentes em solos e águas. Essas novas revelações poderão resultar num aumento das pressões do Governo do Vietnã por indenizações junto aos Estados Unidos para reembolso de despesas médicas e tratamento de doentes. 

O Agente Laranja surgiu a partir da combinação de dois herbicidas que já existiam no mercado. Esse produto continua sendo usado por agricultores de diversos países. De acordo com as informações disponíveis, o tipo de produto que foi usado na Guerra do Vietnã não passou por processos adequados de purificação e apresentava elevados teores de dioxina (tetraclorodibenzodioxina). É essa substância que provoca uma série de enfermidades irreversíveis como má formação de fetos, síndromes neurológicas em crianças, além de diversos tipos de câncer. O uso do herbicida e de vários dos seus derivados já foi proibido em diversos países. 

Houve um uso bastante polêmico de uso do Agente Laranja durante a construção da Usina Hidrelétrica de Tucuruí, no Estado do Pará, na década de 1970. As construtoras usaram ilegalmente o produto para desfolhar parte das matas que seriam inundadas após a formação do lago da hidrelétrica. Em 1983, uma inspeção feita por consultores independentes em um dos acampamentos da obra encontrou 373 barris vazios do produto. As autoridades sempre negaram o fato e as supostas provas dos acontecimentos simplesmente sumiram, o que nunca foi algo anormal no período dos Governos Militares. 

No Vietnã, a região mais afetada pelas pulverizações feitas pelos norte-americanos foi o Sul do país, uma das mais densamente povoadas, envolvendo uma área com aproximadamente 48 mil km². Essa é uma região de grande produtividade agrícola, principalmente a cultura do arroz, onde se vale da grande concentração de rios e águas, como é o caso do Delta do rio Mekong

O Vietnã se encontra na zona de influência das Chuvas da Monção, período do ano em que as fortes correntes de vento do Oceano Índico carregam pesadas nuvens de chuva na direção do Sul e Sudeste da Ásia. Essas fortes chuvas carreiam resíduos do Agente Laranja e das dioxinas ainda presentes nos solos na direção de riachos e rios, contaminando ainda hoje as populações ribeirinhas e agricultores. 

Em 2018, o Governo do Vietnã moveu uma ação jurídica contra a Monsanto, uma das empresas fabricantes do Agente Laranja, pedindo indenização por danos. Os vietnamitas se valerem de uma decisão da Justiça dos Estados Unidos contra a Monsanto. Um agricultor com câncer terminou moveu uma ação contra a empresa, alegando que a sua doença foi consequência de anos seguidos de aplicações de herbicidas em suas plantações. Esse agricultou conseguiu ganhar uma indenização de mais de US$ 280 milhões da Monsanto, o que serviria de jurisprudência para o pedido do Governo do Vietnã. 

No país existem dezenas de milhares de vítimas do Agente Laranja, desde pessoas idosas que foram atingidas pelas pulverizações ainda aos tempos da Guerra, e também milhares de jovens e crianças que herdaram esses problemas geneticamente de seus pais. Também existem inúmeros casos de agricultores e ribeirinhos que desenvolveram doenças associadas ao herbicida através do consumo de água contaminada ou do contato direto com a água nas plantações de arroz. Essa conta também precisa incluir dezenas de milhares de pessoas que morreram vítimas de doenças associadas ao Agente Laranja. 

A Guerra do Vietnã foi encerrada oficialmente em 1975, quando as últimas forças norte-americanas abandonaram o país às pressas. Os Estados Unidos perderam mais de 50 mil homens durante os conflitos e tiveram um gasto, em valores atualizados, da ordem de US$ 1 trilhão. Apesar de toda a sua superioridade tecnológica e bélica, o norte-americanos levaram uma “verdadeira surra” dos plantadores de arroz do país do Sudeste Asiático. 

As violentas e ensurdecedoras batalhas de outrora, ainda matam silenciosamente nos dias de hoje. É uma guerra subterrânea que ainda se desenrola em campos destruídos e águas contaminadas por venenos criados por mentes insanas de outrora. 

One Comment

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s