APÓS FORTE RESSACA, JACARÉS APARECEM NA PRAIA DO RECREIO, NO RIO DE JANEIRO

Jacarés na Praia do Recreio

Há poucos dias atrás, publicamos uma postagem falando dos graves problemas vividos pelos jacarés-do-papo-amarelo da região do Complexo Lagunar de Jacarepaguá, na Zona Oeste da cidade do Rio de Janeiro. Com cerca de 280 km², o complexo é formado pelas Lagoas da Tijuca, Camorim, Jacarepaguá, e Marapendi. Essa região tem apresentado um forte crescimento imobiliário nos últimos anos e possui uma população de mais de 400 mil habitantes. Centenas de condomínios e prédios residenciais foram construídos na região, confinando os grandes bandos de jacarés que habitavam as lagoas a espaços cada vez mais restritos. Especialistas calculam que, apenas no Complexo Lagunar de Jacarepaguá, vivam perto de 4 mil animais. Uma curiosidade – a palavra Jacarepaguá vem do tupi-guarani e significa, literalmente, “enseada ou lugar dos jacarés”.

Pois bem: a situação de alguns desses animais conseguiu ficar um pouquinho pior. Uma forte ressaca, que foi sentida em uma grande extensão do litoral da Região Sudeste, atingiu a orla da cidade do Rio de Janeiro, forçando a interdição de várias pistas de avenidas ao largo das praias para a retirada de areia. Na região do Recreio dos Bandeirantes, além de muita areia nas avenidas, os moradores também passaram a encontrar inúmeros jacarés andando nas areias e calçadões da praia (vide foto). A violenta ressaca atingiu o Canal de Sernambetiba, que liga as lagoas ao oceano, e arrastou grandes ilhas de gigogas (Eichhornia), um gênero de plantas flutuantes abundante nas lagoas e no canal, e muitos jacarés-do-papo-amarelo na direção da praia.

A Polícia Ambiental e Bombeiros Militares de diversos grupamentos da cidade foram acionados e passaram grande parte dessa segunda-feira, dia 8 de julho, “caçando” jacarés nas praias do bairro. Os animais capturados foram levados de volta para as lagoas e soltos no seu habitat natural. Felizmente, nenhum incidente entre os jacarés e os frequentadores da orla litorânea foi registrado.

Os jacarés-do-papo-amarelo (Caiman latirostris) são encontrados nas bacias hidrográficas dos rios Paraná, Paraguai, Uruguai e São Francisco, além de ser encontrados em ecossistemas costeiros como manguezais, estuários de rios e regiões lagunares como é o caso da Barra da Tijuca. Em média, os jacarés dessa espécie têm cerca de 2,5 metros de comprimento, mas já foram encontrados espécimes com até 3,5 metros e com um peso da casa dos 90 kg. Raramente, os jacarés atacam seres humanos, exceto nos casos em que o animal se sinta acuado e tente se defender.

Encontrar um animal silvestre desse porte e periculosidade solto no calçadão da praia durante uma caminhada não é um dos melhores programas para os cariocas. Apesar da notícia curiosa, é uma situação preocupante, que, infelizmente, poderá se repetir inúmeras vezes nesse trecho da orla da cidade.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s