RIO COLORADO: A BACIA HIDROGRÁFICA MAIS APROVEITADA DO MUNDO

Imperial Valley

O rio Colorado é um dos mais longos rios da América do Norte, com nascentes nas Montanhas Rochosas, no Estado americano do Colorado, e, ao longo dos seus 2.320 quilômetros, banha os Estados de Utah, Arizona, Nevada e Califórnia, entrando a seguir no México, onde encontra a sua foz no Golfo da Califórnia. O rio Colorado é sempre presença obrigatória em discussões onde o assunto é o uso da água em sistemas de irrigação agrícola

O rio Colorado é responsável pelo abastecimento de 40 milhões de pessoas em sete Estados americanos e quase 90% do total das suas águas é desviado para fins de irrigação em 2 milhões de hectares, o que torna sua bacia hidrográfica uma das mais aproveitadas do mundo. Várias cidades importantes dos Estados Unidos como Los Angeles, Las Vegas, San Bernardino, San Diego, Phoenix e Tucson utilizam sistemas de abastecimento que captam água do rio Colorado

Com o aumento da população e o crescimento das necessidades energéticas do Sudoeste americano a partir das primeiras décadas do século XX, o Governo dos Estados Unidos criou em 1922 um comitê especial com a missão de gerenciar o uso das águas do Rio Colorado – em 1944, o Governo do México foi convidado a participar das discussões. Esse comitê estabeleceu um rigoroso sistema de cotas, estabelecendo o volume de água disponível para uso por cada um dos Estados localizados dentro da bacia hidrográfica do rio Colorado. Na Califórnia, o Imperial Valey (vide foto), localizado no Sul do Estado, acabou se transformando no maior consumidor local das águas do rio Colorado, sendo um exemplo dos problemas criados pela irrigação em larga escala. 

Imperial Valey fica no Deserto de Sonora, no meio do caminho entre as cidades de Las Vegas e Los Angeles. Em meados do século XIX, a região foi transformada em uma importante rota de acesso dos pioneiros rumo ao Estado da Califórnia. Foi somente a partir de 1901, com a construção do Canal do rio Álamo, que o transporte da água do rio Colorado permitiu o desenvolvimento da agricultura irrigada nessa região, transformando-a numa importante fornecedora de alimentos para o Sul da Califórnia. Em 1942, foi construído um novo canal, o All-American, em substituição ao Canal do rio Álamo. 

Atualmente, um sistema com 2.300 quilômetros de canais de irrigação e 1.800 quilômetros de tubulações passou a distribuir um volume de água correspondente a 83% da cota de água do Rio Colorado a que tem direito o Estado da Califórnia por todo o Imperial Valley. Com fartura de água, terras férteis e muito sol, a região acabou transformada na principal fornecedora de frutas e de vegetais de inverno dos Estados Unidos, produzindo duas colheitas a cada ano, feito raro em um país de clima temperado. A região também é grande produtora de alfafa, vegetal utilizado na alimentação do gado, especialmente nos meses de inverno quando as pastagens naturais ficam cobertas por grossas camadas de neve ou secam. 

A intensa utilização de água na irrigação das terras do Imperial Valley, especialmente através do dispendioso processo de inundação de valas, criou um “subproduto” inesperado já nos primeiros anos do século XX – a percolação dos excedentes de água na direção de uma depressão ao Norte levou à formação do Lago Salton, transformado em uma atração turística no meio do deserto. Apesar de toda a beleza cênica, a água formadora do Lago Salton sempre apresentou altos níveis de contaminação por agrotóxicos e fertilizantes utilizados nas plantações, formando uma grossa camada tóxica no fundo de areia. Durante décadas, a lâmina de água do lago manteve estes resíduos tóxicos longe da população. 

Enquanto o rio Colorado pode disponibilizar grandes caudais de água para os sistemas de irrigação do Imperial Valley, a “farra da água” continuou, sem maiores preocupações dos produtores com as perdas de água e com a percolação de resíduos na direção do Lago Salton. Foi somente a partir do ano de 2010, com o surgimento de uma fortíssima seca em toda a bacia hidrográfica do rio Colorado, considerada a maior seca na região em 1.200 anos, que os agricultores do Imperial Valley passaram a tomar consciência dos imensos problemas ambientais que estavam produzindo em toda a região Sul da Califórnia. 

Falaremos disso na próxima postagem. 

Anúncios

One Comment

Deixe uma resposta para OS GOLFINHOS DE BANGLADESH | ÁGUA, VIDA & CIA – Fernando José de Sousa Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s