TRATAMENTO FINAL DE ESGOTOS COM FILTRO BIOLÓGICO

filtro-biologico

Em meu último post começamos a falar das Estações de Tratamento de Esgotos com Filtro Biológico, uma eficiente instalação para o tratamento de efluentes. Em muitas destas Estações são utilizados os Reatores Anaeróbios para o tratamento dos efluentes. Esses Reatores realizam a separação dos efluentes líquidos do material sólido, conseguindo reduzir a carga de poluentes em até 70% numa única operação. A matéria sólida separada dos efluentes forma o lodo sanitário, que é encaminhado para secagem e centrifugação – trataremos disto em um post específico.

Os efluentes líquidos que saem dos Reatores Anaeróbios têm sua carga de poluentes já bastante reduzida, porém possuem grande quantidade de partículas de resíduos sólidos em suspensão e de patógenos vivos. Na sequência do processo do tratamentos dos esgotos, esses efluentes passarão pela unidade do Filtro Biológico, onde bactérias aeróbicas, que são organismos que respiram ar diretamente da atmosfera e são bastante eficientes no consumo de pequenas partículas de matéria orgânica, concluirão o processo do tratamento.

O Filtro Biológico é composto por um grande tanque circular preenchido com pedras do tipo brita. Essas pedras são cobertas por uma camada de  microrganismos aeróbios chamada de biofilme. As águas residuárias vindas dos Reatores Anaeróbios são lançadas por aspersores rotativos sobre a camada de pedras e serão forçadas a passar pelos espaços entre as pedras, onde os resíduos de materiais orgânicos ficarão retidos. Os microrganismos do biofilme consomem esse material orgânico e também partículas microscópicas e patógenos presentes nos efluentes, liberando materiais inertes que ficam em suspensão .

Os efluentes a seguir passam por um Decantador Secundário, unidade que tem a função de separar os sólidos em suspensão das águas residuárias. Os decantadores são grandes tanques circulares, onde o material particulado é acumulado no fundo através de processo de decantação. O Decantador Secundário possui um raspador rotativo circular que raspa continuamente o fundo do tanque e direciona todo o material particulado para um dreno central. Uma bomba de sucção recebe esses resíduos e faz o bombeamento em direção a entrada do sistema para reprocessamento.

É comum a superfície do efluente líquido ser tomada por escuma, uma massa flutuante de resíduos de óleos e graxas presentes nos esgotos e de difícil e lenta digestão por alguns grupos de bactérias. Esta escuma escorre por uma canaleta na borda do tanque do Decantador Secundário e é encaminhada por bombeamento para a entrada do sistema,  onde passará mais uma vez por todo o processo de tratamento até a neutralização total dos resíduos de óleos e graxas.

Na saída do Decantador Secundário, os efluentes já apresentam um ótimo aspecto porém ainda apresentam uma pequena quantidade de material particulado e de patógenos vivos, que precisam ser eliminados antes do despejo dos efluentes em um corpo d’água. Algumas Estações de Tratamento de Esgotos mais modernas utilizam um sistema de luz ultravioleta na saída de águas residuárias da Estação – a luz ultravioleta tem a capacidade de matar os patógenos presentes na água. Quando esse sistema não está disponível, o uso da lagoa de maturação é uma opção. Esta lagoa tem profundidades entre 0,8 a 1,5 metro e sua principal função é  utilizar os raios ultravioleta da radiação natural do sol para matar os patógenos, valendo-se da transperência da água, do elevado pH e também da elevada concentração de oxigênio dissolvido na água. A instalação e uso do sistema de lagoa de maturação só será viável em regiões onde o custo dos terrenos é baixo – em regiões de alta valorização imobiliária, a opção de menor custo será o uso do sistema de luzes ultravioletas na saída de efluentes da Estação de Tratamento. 

Ao final de todo o processo de tratamento dos esgotos, a água resultante terá um grau de pureza superior a 90%, e será despejada na direção do corpo receptor através do emissário, sem apresentar nenhum risco de contaminação ao meio ambiente. O corpo receptor irá concluir o processo de tratamento através de processos naturais de depuração.

Basicamente, mostrei o processo do tratamento dos esgotos nestes três últimos posts; mas há muito mais a se falar sobre isso.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s