SALGADAS LÁGRIMAS PARA UM RIO DOCE

rio-doce-2

O que é um rio?

Água doce que corre por um vale será a resposta fria de um atlas.

Se você olhar com um pouco mais de atenção no mesmo atlas vai encontrar toda uma escala de definições para água doce: riacho, ribeiro, córrego, ribeirão, riachão e, finalmente, um rio.

Para um pescador é seu local de trabalho, de onde retira o sustento da sua família;

Para o barqueiro é mais do que um local de trabalho – o rio é o seu segundo lar (para alguns é o primeiro);

O agricultor vê o rio como um parceiro, que empresta parte das suas águas para fazer brotar do chão os alimentos;

Para as cidades, a água do rio é a fonte da vida, que sacia a sede, lava e leva embora tudo o que não presta;

Para o romântico, o rio é a saudade que leva para longe todas as lembranças dos amores perdidos…

Talvez o rio seja a soma de tudo isso e muito mais – é a fonte de todas as vidas!

Mas, e quando o homem destrói o rio?

A água deixa de ser doce, o pescador não tem onde trabalhar, o barqueiro encalha, o agricultor fica sozinho, as cidades desabastecidas e o romântico a morrer de amor em toda a sua a sua melancolia…

Ficam somente as lágrimas salgadas e a triste lembrança da doçura de suas águas de outrora…

05/11/2016 – 1° aniversário da tragédia ambiental do Rio Doce.

6 Comments

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s